• Usuária do Tumblr em destaque: Célia Zannon

      Blog: czannon 
      Primeira postagem: dezembro de 2012


      Nossa usuária em destaque da vez é a Célia Zannon. Ela tem 66 anos, é psicóloga, professora universitária, mãe de 4 filhos, avó de 6 netinhos e desenhista de coração! Tivemos o imenso prazer de bater um papo com ela, que esbanjou simpatia, sensibilidade e sabedoria ao responder a nossas perguntas.

      A criação de desenhos e ilustrações é algo que você pratica como hobby ou que faz profissionalmente?
      Puro lazer terapêutico. Desde sempre, sou rabiscadora compulsiva. Deixei traços de uma vocação latente em anotações durante reuniões acadêmicas, em guardanapos de papel de bares e restaurantes; nada que eu pensasse em explorar e desenvolver. Desenhava margaridas, faces, cabanas, coqueiros, signos, “o moita”. Assinava cartão postal, bilhete, carta, com uma margarida reverente. Há quase dois anos comecei a desenhar como um exercício de distração, um modo de enfrentamento de dores físicas, sequelas de fraturas. Hoje, desenhar é minha principal atividade. Se houvesse oportunidade para um fazer temporão, quem sabe até se tornaria um trabalho profissional.

      Na descrição do seu blog, você cita o uso de aplicativos para criar alguns de seus desenhos. Você prefere utilizar ferramentas digitais em seu processo de criação ou utiliza tanto as digitais quanto as analógicas?
      Quando comecei a desenhar para diminuir/evitar o uso excessivo de analgésicos, usei apenas ferramentas digitais. Tenho alguns cadernos, tipo Moleskine, onde rabisco, vez ou outra, com lápis, grafite e caneta. Mas, uso quase exclusivamente as ferramentas digitais.

      Você já combinou ambos os tipos de ferramentas em um mesmo desenho? Ou é cada coisa para um lado?
      Tenho profunda admiração pelo talento de artistas que usam ferramentas ‘físicas’, ‘corpóreas’ (que vocês chamam ‘analógicas’, em oposição às digitais). Gostaria de usar nanquim, canetas, grafite, carvão de verdade, para desenho em papel. Aquela coisa de sujar a mão! Para isso, precisaria de orientadores que me ajudassem a desenvolver as técnicas, desde o preparo do papel para receber os traços do desenho, até o uso efetivo das ferramentas que me encantam. Eu uso demasiado as ferramentas digitais úteis para correção. Tenho os vícios da borracha, do “rewind”, “do desfazer”, do “sobrepor” e de outros artifícios digitais que disfarçam parte das minhas inúmeras inabilidades.

      Quais as ferramentas digitais que você mais utiliza para desenhar?
      Testei vários aplicativos para escrever e desenhar! Mas os que mais uso são o Paper by FiftyThree e o Sketch Club. No começo, busquei aprender sobre ferramentas do desenho digital usando SketchBook Pro, Artrage, Procreate, iCharcoal, ASKetch, My Brushes, Illustrator. Retorno a esses aplicativos regularmente, para estudar e testar minhas habilidades no manejo dos recursos. Não as tenho muito desenvolvidas, pois não tenho estudo formal em desenho e pintura, mas procuro descobrir e usar uma ferramenta que ofereça um diferencial para o estilo ou configuração que pretendo dar a um desenho. Exploro sempre, como estou fazendo atualmente com Sketches, ZenBrush, Notes HD, Flipink. Também gosto de rabiscar em cadernos de anotações, como o Bamboo Paper.

      Quais são os temas mais recorrentes em suas criações?
      Desenhos abstratos, alguma natureza, flashes de momentos. Alguns temas recorrentes seriam cabanas, árvores, paisagens campestres e urbanas, faces, dicas de livros… e as folhas (parte de um projeto), que se tornaram um hobby temporário. Para ver melhor as características das folhagens, colecionei folhas por algum tempo, desde as novinhas, ainda róseas e verdinhas, até as recém caídas, em processo de desidratação, ou totalmente secas, manchadas pelo tempo. Embora eu não tenha qualquer inclinação (nem habilidade) para a representação realista, este é um viés de formação profissional, a busca de alguma observação sistemática.

      Por que escolheu o Tumblr como plataforma para o seu blog?
      Inicialmente eu apenas navegava pelo Tumblr, seguia alguns blogs, tão somente uma voyeur. Usufruía do que o espaço Tumblr oferece: uma diversidade artística e literária, nas diferentes áreas que me fascinam. Aprecio as curadorias: estes museus, indexadores, bibliotecas, mostras digitais guiadas. No final de 2012 comecei a publicar desenho e “poemim”, porque me agradaram a configuração da plataforma e o modo de ser desta comunidade: liberdade de expressão, postura não-competitiva, amplitude de visibilidade, solidariedade e generosidade de artistas brilhantes, oportunidade de mostrar o que faço, sem restrições ao estado primitivo do que faço, ou às ferramentas e aplicativos que uso.

      A nossa comunidade de ilustradores aqui no Tumblr é enorme. Você já encontrou blogs que te inspiram a desenhar cada vez mais?
      São tantos os blogs que me inspiram no Tumblr, que certamente serei injusta e incompleta ao selecionar uns e não citar outros. De muitos aprecio o talento, a habilidade, a generosidade ao ensinar compartilhando o modo peculiar de desenhar e pintar. Há aqueles em que são admiráveis a beleza de expressão, o bom humor, o intrigante, a sensibilidade do olhar para o cotidiano. Uma seleção? Trinta blogs que me inspiram: sylvialinch, acostaimages, eichan68, joaquimmeira, b-i-r-d-i-e, mademistakes, ludoman, rcambraia, claudioboccardo, drawwithpaper, greenmanwest, luiswerlang, fabfianda, mbbradbury, drmeek, papermama, azulazulete, escrevendoesemeando, bethanycknowles, kimmiekuniverse, pixeledthoughts, nahuelbattaglia, zemyatin, anickue, francesringwood, tanya697, fledglingartist, paolotedeschi, sebastiandrawings, fricasseepourcamion… Me limitei a um número mágico, de pessoas que desenham, cujos modos de fazer arte e pensar me atraíram, e com quem já interagi de alguma forma amiga nesta plataforma.

      Foto: Célia Zannon