• Bem-vindos à segunda parte do nosso relatório de transparência governamental (em inglês), no qual explicamos em detalhes (não muito entediantes, esperamos) os pedidos de informação de contas de usuários que recebemos do governo americano, e esclarecemos como lidamos com esses pedidos. 
Quantos pedidos? De janeiro a junho de 2014, nós fornecemos informações — dados de usuários ou conteúdo de blogs — a 84% dos pedidos feitos, cobrindo 199 URLs de blogs. Isso representa cerca de 0,00010% de todos os blogs no Tumblr.  Um número não muito grande, mas já que se trata de uma divulgação completa, não importa a escala.
Também neste relatório: algumas tendências emergentes nos dados e algumas informações sobre a nossa política de melhoria na notificação ao usuário. E ainda: informações adicionais para que você fique totalmente a par do casos nos quais o governo vem solicitando informação e o que estamos fazendo para defender os seus direitos. 
Como já você sabe, levamos a privacidade dos seus dados a sério, e a partir de agora, vamos fazer nossa própria auditoria duas vezes por ano. Esteja atento ao nosso próximo relatório no início de 2015.

fonte: staff

      Bem-vindos à segunda parte do nosso relatório de transparência governamental (em inglês), no qual explicamos em detalhes (não muito entediantes, esperamos) os pedidos de informação de contas de usuários que recebemos do governo americano, e esclarecemos como lidamos com esses pedidos. 

      Quantos pedidos? De janeiro a junho de 2014, nós fornecemos informações — dados de usuários ou conteúdo de blogs — a 84% dos pedidos feitos, cobrindo 199 URLs de blogs. Isso representa cerca de 0,00010% de todos os blogs no Tumblr Um número não muito grande, mas já que se trata de uma divulgação completa, não importa a escala.

      Também neste relatório: algumas tendências emergentes nos dados e algumas informações sobre a nossa política de melhoria na notificação ao usuário. E ainda: informações adicionais para que você fique totalmente a par do casos nos quais o governo vem solicitando informação e o que estamos fazendo para defender os seus direitos. 

      Como já você sabe, levamos a privacidade dos seus dados a sério, e a partir de agora, vamos fazer nossa própria auditoria duas vezes por ano. Esteja atento ao nosso próximo relatório no início de 2015.

      fonte: staff

    • Usuário do Tumblr em destaque: Sirlanney Nogueira  

      Blog: Sirlanney 

      Primeira postagem: abril de 2012

      O delicioso tumblr da artista plástica Sirlanney é altamente viciante. Uma vez que você já está lá, é impossível sair da página sem ver pelo menos todas as suas tirinhas. Feminista acidental e cearense de nascimento, Sirlanney escolheu o Rio de Janeiro como a sua segunda casa. Diz que faz as tirinhas para narrar a sua vida e para não enlouquecer. Conversamos com a artista sobre feminismo, sobre o livro com as melhores tiras que está para sair e sobre a sua paixão pelo Tumblr.

      Somos apaixonados pelo seu Tumblr! Conta pra gente como tudo começou.

      Começou de uma longa caminhada de autopublicações pela internet. Primeiro eu postava textos, geralmente como diários. Só depois de 2009, comecei a publicar desenhos e quadrinhos. Meu primeiro blog foi em 2001, mas antes disso eu já sabia que queria fazer da escrita minha profissão. Todo mundo tem sonhos megalomaníacos na infância: de ser poeta, cientista, astronauta. O primeiro parecia ser o menos complicado e, não sei por que, eu levei adiante.

      A Sirlanney “magra de ruim” é 100% autobiográfica ou tem ficção ali pelo meio?

      É mais fácil dizer que é 100% ficção. Eu me uso como personagem também, mas quase sempre meus personagens são genéricos. Escrever em primeira pessoa e usar como personagem central quase sempre uma menina é o que leva o leitor a pensar que é uma autobiografia. Mas mesmo quando eu me inspiro em fatos, sentimentos ou observações reais para compor uma história, eu sempre acabo distorcendo muito para deixar aquilo atrativo. Exagerando, enfeitando, ou mesmo mentindo. O que for necessário para criar uma história, eu faço.

      Ler mais

    • Usuário do Tumblr em destaque: Carla Raiter      

      Bloggael + frida

      Primeira postagem: maio de 2014

      Assim que batemos os olhos no belíssimo tumblr “gael + frida”, da fotógrafa Carla Raiter, ficamos apaixonados. Gael é o filhinho de quase 4 anos da Carla. Frida é uma cadelinha que, abandonada na porta de um supermercado, foi adotada e agora já faz parte da família. No primeiro dia que a Carla trouxe Frida para casa, a química entre as duas fofuras foi imediata. Daí para a criação do tumblr registrando a amizade dos dois, foi um pulo. Conversamos com Carla para tentar descobrir um pouco sobre a amizade por trás destas fotos tão lindas.

      Você é fotógrafa full time ou existem outras atividades paralelas?

      Sou fotógrafa full time, mas toco tudo sozinha. Sou mãe do Gael e estou terminando a graduação em Comunicação Social. Então, existem muitas atividades paralelas (risos). Mas atividade remunerada, só a fotografia, mesmo.

      Como surgiu a ideia do blog “gael + frida”?

      A ideia surgiu por acaso, sem nenhuma grande pretensão. Foi bem aquela coisa de algumas pessoas sugerirem: “ah, faz um tumblr disso” (risos). 

      Contando a história desde o começo: a Frida foi adotada. Eu a encontrei abandonada na porta de um supermercado e a trouxe para casa porque já queria adotar um cachorro filhote há algum tempo. Um dos motivos era o pânico que o Gael tinha de cachorros, de todos os tipos e tamanhos. Outro motivo era a vontade de dar algum tipo de companhia para ele brincar, correr, fazer bagunça. E o outro motivo envolve o fato de cachorros serem peludinhos, fofinhos e bonitinhos (risos). Quando cheguei em casa com a Frida, o sucesso foi imediato. Gael adorou. E os dias que se seguiram renderam cenas lindas de brincadeiras e carinhos. Comecei a fazer algumas fotos e postar no Facebook. Em um dos posts, até brinquei, pedindo desculpas pelo assunto recorrente, mas é que não dava para resistir a tanta lindeza. Os amigos gostaram das fotos, pediram para continuar postando. Surgiu então a sugestão do Tumblr, e eu fiz.

      Ler mais